Páginas

07 maio, 2015

O amor ainda é o maior mistério da humanidade

Muitos dizem que a morte é o maior mistério existente, mas eu não acredito nisso. Não acredito pelo simples fato de que aceito a morte como uma forma de dar adeus a tudo o que deixamos. Para mim, a morte é o fim de uma jornada para o começo de outra, então não faço dela um bicho de sete cabeças.
Outros alegam que a vida é o que há de mais misterioso, porém também não concordo. A vida é fácil de entender, a gente que complica ela. A vida é se permitir, é ter a chance de fazer as coisas, é aquilo que vai te determinar no mundo, te fazer sofrer muitas vezes, mas sorrir mais ainda. Então vocês estejam se perguntando qual o maior mistério para o jovem aqui.
Fácil de responder: o amor. Sim, creio que esse sentimento que nem sabemos se realmente existe é a coisa mais difícil de poder desvendar. Afinal, o que é amar? Amar é colocar os outros em primeiro lugar? Amar é fazer de tudo para agradar uma pessoa – ou um grupo de pessoas? Não sei. E você, seja sincero, também não sabe.
O amor pode ser tudo e também pode ser nada. Confundimo-nos tanto em relação ao amor. Alguns momentos, por exemplo, acreditamos que estamos amando e na verdade, é outro sentimento.
Amor, quem sabe, seria uma invenção. É, uma invenção das pessoas para uma utopia nunca atingida. Criada somente como um refúgio dos problemas, de tanto desaforo levado para casa, de tanta expectativa jogada fora. Não sabemos quando amamos. Não sabemos o real significado dessa palavrinha tão dita, mas tão complicada de decifrar. Por essas e outras, que ainda acho o amor, o maior mistério da humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário